Economia é sobre o preço do novo Chery QQ 2018 ou usado, você não vai acreditar na opinião de quem é entendido de carros

O modelo tem sido um a grande promessa da marca por conta de ser um modelo acessível e com a sua melhora tem ganhado mais fãs, clientes e mercado. A Caoa fez a aquisição da operação brasileira da fabricante chinesa, oferecendo mais confiabilidade à marca. O modelo recebeu motor flex e a versão mais acessível contemporânea para o mercado nacional automotivo também com motor 1.0 de três cilindros chegando a 75cv. Legal, não é? Uma evolução para o mercado que proporciona melhorias ao consumidor, principalmente.

Carros
4 meses atrás
Economia é sobre o preço do novo Chery QQ 2018 ou usado, você não vai acreditar na opinião de quem é entendido de carros

O subcompacto, como é denominado, vem com muita coisa boa. Seu motor melhorou e ficou mais forte e potente com classificação AA do INMETRO somado ao Selo Conpet, oferecendo até revisões gratuitas, confira no momento da compra para conhecer esta possibilidade garantindo o benefício. Ele chega no mercado brasileiro com três versões. Confira todos os detalhes sobre o carro que está se tornando febre entre motoristas que usam este carrinho para a cidade, somente para si.

Versões do Chery QQ 2018

  • Entrada: Smile
  • Mediana: Look
  • Topo de linha: ACT

O Chery QQ 2018, recebeu atualização de geração com as versões Loook e ACT, mas a fabricante decidiu criar uma opção bem barata por apenas R$ 25.990. Sem praticamente nada, ar, direção ou vidros elétricos, conta apenas com um rádio com USB sendo destaque, focada no uso comercial. Como carro de frota, com a mesma proposta da versão Life do Renault Kwid, cumprindo apenas a meta de preço baixo.

Preço do Chery QQ 2018

Chery QQ Smile:

Preço sugerido de R$ 26.690

Chery QQ Look:

Preço sugerido de R$ 30.690

Chery QQ ACT:

Preço sugerido de R$ 32.290

História do QQ

A marca Chery nasceu no ano de 97, lançando como seu primeiro modelo o Cowin, versão chinesa do carro Seat Toledo (primeira geração). Depois o Liftback (origem teuto-hispânica), passou a ser produzido ainda no ano de 1999, mas a fabricante não conseguiu se impor e chamar a atenção no mercado chines por ser apenas um modelo com muitas versões. Mas quando notaram que se produzissem mais modelos derivados do mesmo carro começou a sentir diferença em seu segmento em meados dos anos 2003.

Ano em que mais fabricantes de automóveis chineses ganharam vida, pois o governo liberou a atuação dessas empresas em nichos como autopeças, mas ainda não tinham o direito de produção. Após as licenças, a concorrência cresceu a ponto da marca produzir o conhecido carro urbano nomeado por QQ. Com a proposta de ser um produto mais acessível desde seu nascimento, ainda que remetendo o Daewoo Matiz, trazendo um de seus primeiros processos movidos pela GM (General Motors) contra a montadora de Wuhu. Para quem não sabe, o modelinho sul-coreano estava sendo comercializado como Chevrolet Spark. Porém apesar da grande briga judicial sem sucesso para a GM, a fabricante forçou a SAIC (Shanghai Auto), sócia na China e comandava 20% das ações da Chery, se retirar da composição acionária de participava.

A paridade entre os modelos Chery QQ e Dawoo Matiz eram altamente perceptíveis, chegando a serem confundidos como mesmo veículo. A fabricante chinesa declarou ter firmado um acordo com a Shanghai Auto antes de ter sido assumida integralmente pela General Motors. Porém o modelo não só foi fabricado, como foi mantido sob a estrutura de motor com três cilindros 0.8 ou 1.1 e quatro pistões, ambos CAC (chinesa) e clonados da concorrência, como se diz vulgarmente.

Chery QQ manteve-se como único modelo de acesso da marca até o ano de 2007 com o Cowin na sequência e o Tiggo (copia do Toyota RAV4) depois de 2000. A plataforma do QQ, que tinha suspensão traseira por eixo rígido, acabou por derivar ainda outros carros, então a partir do ano de 2005, a marca passou a criar novos modelos, com mais personalidade tornando-se um pouco diferente das outras montadoras e fabricantes locais. O primeiro derivado foi o QQ6, um modelo no formato de sedã compacto com vigia traseira integrada no porta-malas, que ao mesmo tempo, desenvolveu o A1, o hatch conhecido por Face em nosso mercado. Comercializando exemplares nomeados como Dodge Breeze, produzido em parceria Chery-Chrysler, porém o projeto fracassou. Mas, outro modelo ganhou a atenção, cupê com duas portas simétricas com faróis e lanternas, comercializado lá.

Outra família que partiu do modelo foi a S18, com o hatch, com sedã e também com a versão perua, mas pudemos comercializar no Brasil somente o hatch, unico que veio para cá. Uma coisa legal para mencionar é que, tinha opção de câmbio automatizado EZ-Drive. Após a comercialização do modelo A1, o querido QQ deixou de receber alguns privilégios na fabricante, porém foi mantido como ponta de lança da marca recebendo melhorias. E desde o lançamento, o modelo foi comercializado e produzido em outros países fora a China, como Egito, Venezuela, Iraque, Irã, Rússia, Indonésia e Brasil.

O modelo tem a sua versão elétrica comercializada na China, porém poderá migrar para a Cowin Auto, uma marca automotiva barata com vínculo na Chery. Especula-se que o carrinho possa acabar puramente elétrico para a próxima geração, atendendo requisitos do governo chinês. Então próximo Chery QQ pode aparecer com baterias ampliando sua autonomia, o modelo oferece grande potencial de seguir carreira ainda por um bom tempo, mas no Brasil, poderá encerrar a vida sob comando da CAOA-Chery.

Detalhes do Cherry QQ

O QQ recebeu somente facelifts com o passar dos anos e somente em 2014 apareceu repaginado com a nova geração tão esperada, chamada de New QQ, chegando com o eQ, versão elétrica do pequenino, com autonomia de 200 km, 58 cv de potência e 15,3 kgfm (motivador de uma ação recente da chinesa contra a poderosa Mercedes-Benz). A nova geração foi mantida com a mesma estrutura frontal antiga – o belo sorriso, exibindo linhas ainda mais arredondas, inspiradas no modelo 2018. Suas medidas ainda são pequenas, mantendo a identidade do modelo, mesmo sendo repaginado. Então, cabe tudo em aproximadamente 3,56 m de comprimento e 2,34 m entre-eixos carregando um motor 1.0 com 12V, colocando os antigos 0.8 e 1.1 para descansar. Mudou sua imagem diante do mercado com a versão Smile, inicialmente comercializada com o preço de R$ 25.990, ainda que os compradores tenham preferência pela versão Look, com mais itens de série.

O Cherry QQ por fora

O modelo chega com a frente composta por um capô mais curto e par de faróis amendoados, a grade é típica com o tradicional formato do sorriso. Os para-choques aparecem remodelados, assim como seus faróis de neblina integrados. Os vincos marcantes nas laterais são um verdadeiro charme que conversam muito bem com as janelas arredondadas e com as maçanetas (as traseiras ficam elevada, quase no vidro sendo parte no acabamento). O porta-malas foi construído completamente com vidro destacando as lanternas verticais arredondadas e o para-choque bem arrebitado.

Medidas:

  • 3.564 mm de comprimento,
  • 1.620 mm de largura,
  • e 1.527 mm de altura,
  • 2.340 mm de distância entre-eixos,
  • 160 litros no porta-malas ou 636 litros com rebatimento do banco traseiro.

Cores disponíveis:

  • Branco,
  • Preto,
  • Vermelho,
  • Prata,
  • Azul,
  • Marrom.

Versão Smile, conta com Branco, Preto e Vermelho disponíveis.

As curvas e linhas no estilo amendoado, parece que foi construído para agradar as clientes. Remetendo um visual bem alegre e descontraído cheio de simpatia. O exemplar, mesmo pequenino, foi construído com altura interna muito boa e conforto com agilidade para o uso urbano. A produção da fabricante acontece na cidade de Jacareí, interior de SP. O que falta mesmo é um boa produção do subcompacto, que sofreu com as greves sucessivas na fábrica, sendo incapaz de atender a demanda que subiu consideravelmente pela propaganda de ser um caro zero tão barato.

O Cherry QQ por dentro

O desenho do painel é simples e convencional com o cluster já sendo digital. Por cona de seu baixo preço, plásticos são bastante utilizados na fabricação, fora a ausência da tampa no porta-luvas. Fica evidente o corte de gastos quando olhamos para o acabamento do carro, mas em contra-partida, somam-se 14 espaços para porta-objetos. Alguma dúvida que é um carrinho atraente para o público feminino?

Itens de série para a versão topo de linha New QQ Act

  • Ar-condicionado,
  • Direção Hidráulica,
  • Media System,
  • Rádio AM/FM + MP3 + USB,
  • Freios ABS +EBD,
  • Air bags dianteiros para motorista e passageiro,
  • Vidros elétricos,
  • Espelhos retrovisores com ajuste elétrico.

Itens de série básicos do Chery QQ 2018 versão Smile

  • airbag duplo,
  • vidros dianteiros elétricos,
  • cluster digital,
  • computador de bordo,
  • rádio com dois alto-falantes e USB,
  • abertura elétrica do porta-malas,
  • ajuste elétrico dos faróis,
  • acabamento em dois tons,
  • rodas de aço com calotas,
  • maçanetas e retrovisores pretos,
  • antena no teto.

Itens de série do Chery QQ 2018 versão Look

  • ar-condicionado,
  • direção hidráulica,
  • 4 alto-falantes,
  • limpador e desembaçador do vidro traseiro,
  • chave com telecomando,
  • rodas de liga leve aro 14.

Somados aos itens da versão anterior. Com direção hidráulica e pneus maiores, 175/65 R14 (antes 165/60 R14) o pequenino ficou mais econômico, porém a capacidade do tanque de combustível foi mantida em 35 litros.

Itens de série do Chery QQ 2018 versão ACT

  • retrovisores elétricos,
  • luzes diurnas,
  • sensor de estacionamento,
  • vidros traseiros elétricos.

Somados aos itens da versão anterior.

Opinião de consumidor sobre o que falta no Chery QQ 2018

Central multimídia!

O compacto não aparece com a solução em nenhum de seus modelos ou versões, nem na China. Ele também poderia ter itens de segurança como airbags laterais. A direção elétrica e suspensão mais firme também poderiam ser avaliados. O carro não tem recuperação de energia da bateria, uma coisa muito importante. Fora, claro… melhorar seu acabamento, mas isso já não é o único, muitos carro bem mais caros e até modelos que estão na casa dos 100 mil pecam neste detalhe.

Falando em conforto e segurança do QQ 2018

A promessa é de que o veículo seja versátil, com mais segurança ao condutor com air bag duplo e freios ABS. O carro também tem célula integral, são áreas que deformam absorvendo impactos em caso de acidentes com a finalidade de proteger os ocupantes. Seu espaço interno é um detalhe de sucesso, até porque há opção de aumentar a capacidade de carga aumentando o porta-malas para até 636 litros.

Como ficou o motor do Chery QQ 2018

Ele chega com 1.0 e três cilindros fazendo de 0 km a 100 kg em 14 segundos.

Desempenho com Gasolina:

Potência – 74 cv a 6.000 rpm
Torque – 9,7 kgfm a 4.500 rpm

Desempenho com Etanol:

Potência – 75 cv a 6.000 rpm
Torque – 9,7 kgfm a 4.500 rpm

Dados próximos comparados aos motores 1.0 concorrentes no mercado brasileiro. O propulsor é da Acteco, divisão de motores e transmissões da Chery. Seus números são modestos quanto a performance, porém atende muito bem o deslocamento de AB. O modelo foi desenvolvido para uso em meio urbano e tem direção hidráulica, mas poderia ser substituída pela elétrica. Com relação às proporções, suas pequenas medidas ajudam quando trata-se de vagas apertadas, mas a ergonomia fica devendo.

Opinião sobre o Chery QQ 2018

Opinião positiva sobre o QQ

Como é um veículo montado na América do Sul, no Uruguai, tem um bom pacote quanto aos itens de série. O tamanho é bem vantajoso, afinal, as cidades carecem de melhorias na malha viária e o trânsito segue caótico em grande parte. Quanto as retomadas, há quem considere – dentro de suas condições, boas a partir de 2500 rpm. Seu design é bem atraente e com a Caoa defendendo a Chery, as possibilidades de mercado são aumentadas.

Opinião negativa sobre o QQ

Com a produção do novo QQ, versões passadas serão automaticamente bem desvalorizadas com relação ao Zero km. O acabamento não é fino e deixa bastante a desejar interna e externamente falando, não há alinhamento das peças, é notório. E para os passageiros, podem sofrer com a ergonomia e ausência de conforto por parte dos bancos, pois seus encostos são estreitos e os bancos dianteiros, são extremamente desconfortáveis.

Motor Poderoso

Aqui nós escrevemos mais que sobre os carros, motos e afins, nosso site é voltado para quem quer saber detalhes ou tem dúvidas sobre questões técnicas, design, até custo benefício de veículos famosos ou exclusivos, populares ou aqueles que saíram de linha.

Vamos Bater um Papo?