APROVADO: suspensão de CNH para motoristas envolvidos em contrabando

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1.530/15, ela permite a perda da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para todo motorista condenado por dirigir veículo usado para receptação, descaminho ou contrabando de mercadorias. Estabelece a suspensão da habilitação após decisão cautelar do juiz em pedido do Ministério Público também. A medida segue para apreciação do Senado.

Autos
8 meses atrás
APROVADO: suspensão de CNH para motoristas envolvidos em contrabando

É possível que a medida ajude às autoridades com ações mais eficazes e rápidas. Trata-se de prejuízos anuais que giram em torno de R$ 100 bilhões com o contrabando no país, entre impostos não pagos quanto as perdas decorrentes do impacto no mercado de trabalho e em toda cadeia produtiva. O próprio cigarro, chega a ser responsável por algo entre 68% de todo o esquema de contrabando no país.

“As perdas da indústria e do governo com o contrabando do cigarro chegam a R$ 6,4 bilhões. Destes, ao menos R$ 4,5 bilhões correspondem a perdas de arrecadação. Mas há enormes perdas em termos de incremento do risco à saúde dos consumidores, de ocupação das forças de segurança com a prevenção a tais práticas, e, até, com a corrupção que frequentemente acompanha o contrabando. Tais perdas são, em muito, aumentadas, se, ao cigarro, somarmos os produtos eletrônicos, os perfumes e as bebidas alcoólicas”, explicou o autor do PL, deputado Efraim Filho (DEM-PB).

Para os casos de condenação, o indivíduo poderá reaver sua carteira de habilitação somente cinco anos após o cumprimento da sua estabelecida pena. Então, para voltar a conduzir veículos dentro do país, precisará iniciar todo o processo de habilitação como se fosse a primeira vez, ou seja, deverá requerer nova permissão para dirigir, como se estivesse obtendo sua primeira habilitação. O parlamentar garante que por ser uma perda efetiva, é uma medida segura para todas as partes.

Quanto à carros de empresas, a punição também será aplicada a pessoa jurídica que transportar, distribuir, armazenar ou comercializar produtos apreendidos de contrabando. Prevendo então o citado projeto de Lei, a perda da inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), após todo o tramite do processo administrativo. Assim como a lei estabelece o prazo para o condutor condenado reaver sua habilitação, os mesmos cinco anos são previstos para que a pessoa jurídica obtenha novamente o registro do CNPJ.

Cartazes e Informações

O referido projeto de Lei também garante a divulgação em postos de venda, logo, na parte interna dos estabelecimentos que vendem cigarros e bebidas alcoólicas, deverá ser afixada uma advertência escrita com os seguintes dizeres: “É crime vender cigarros e bebidas contrabandeados. Denuncie”.

Com informações da EBC

Motor Poderoso

Aqui nós escrevemos mais que sobre os carros, motos e afins, nosso site é voltado para quem quer saber detalhes ou tem dúvidas sobre questões técnicas, design, até custo benefício de veículos famosos ou exclusivos, populares ou aqueles que saíram de linha.

Vamos Bater um Papo?